segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Aliados de Arruda fazem oração após receber propina

Por Redação Yahoo! Brasil


PUBLICIDADE

A série de vídeos produzidos no âmbito da Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, traz à tona novas cenas isólitas sobre denúncias de corrupção no governo do Distrito Federal. Deputados distritais, assessores e o próprio governador do DF, José Roberto Arruda (DEM), foram filmados recebendo dinheiro e guardando maços de notas em pastas, envelopes, bolsos e até dentro de meias.

Em um dos últimos vídeos (abaixo) divulgados, com imagens de distribuição de dinheiro gravadas por Durval Barbosa, ex-assessor de Arruda e colaborador da PF, o deputado Rubens César Brunelli (PSC), de camisa roxa, o atual presidente da Câmara, Leonardo Prudente (DEM), de camisa branca (que aparece em outra gravação guardando dinheiro na meia) e Durval Barbosa agradecem a Deus pela suposta propina.

http://www.youtube.com/watch?v=xuaRqvzX5jY&feature=player_embedded

Impeachment

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) defende a abertura de processo de impeachment contra o governador do Distrito Federal. Enquanto isso, grande parte do Democratas já pensa na desfiliação de Arruda, acusado de coordenar o esquema de corrupção. A informação é do senador Demóstenes Torres (DEM-GO), em entrevista à Agência Brasil.

"Existe um fato e denúncias. Contra fatos e denúncias, o combate são fatos e não versões. É assim que funciona. Vamos dar ao governador o espaço que ele precisa para se explicar. Mas o clima de desconforto é grande. Aguardamos a defesa dele, mas grande parte do DEM pensa na desfiliação e até na expulsão", disse o senador.

Em nota, Arruda e o vice, Paulo Octávio, manifestaram-se em nota nesta segunda-feira, dois dias depois de deflagrada a operação pela PF. No documento, eles dizem que Durval Barbosa, ex-diretor de Relações Institucionais do Distrito Federal, agiu de "forma capciosa e premeditada" para prejudicá-los com uma "versão mentirosa dos fatos para tentar manchar o trabalho sério e bem sucedido que tem sido feito pela nossa administração".

"Estamos tranquilos, porque sabemos de nossa inocência, e confiamos no sereno e isento trabalho da Justiça de nosso país, onde a verdade sempre acaba se afirmando", dizem.

Com Agência Estado


terça-feira, 24 de novembro de 2009

Polônia: VI Congresso Conservador


Numa atmosfera de muita amizade e consonância de idéias, realizou-se no dia 10 de outubro em Cracóvia (Polônia) o VI Congresso Conservador, promovido anualmente pela Associação pela Cultura Cristã Padre Piotr Skarga, organização co-irmã de TFPs européias.

Entre os oradores, destacaram-se Andrzej Nowak, professor de História da Universidade Jagielon (Cracóvia), que desenvolveu o tema A Rússia diante da encruzilhada da civilização; e Grzegorz Kucharczyk, da Academia Polonesa de Ciências e historiador da Universidade de Poznan, cuja exposição intitulou-se O projeto de modernização sem Deus e contra a tradição –– Exemplo da Polônia após 1989. Mathias von Gersdorff (TFP alemã) discorreu sobre a Alemanha após a queda do Muro de Berlim; e Julio Loredo (TFP italiana) desenvolveu temas referentes à Revolução Cultural na Itália nos últimos 20 anos.

FONTE : FUNDADORES

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

O brasileiro, a política e os políticos

Plinio Corrêa de Oliveira

“O povo brasileiro se destacou, desde as origens, por seu caráter ameno, afetivo e cordato. Ademais, habituou-se ele a considerar com otimismo as várias crises econômicas por que tem passado. Ele confia em Deus (Deus é brasileiro — afirma um velho dito popular). Ele sente-se inteiramente à vontade no seu imenso e fecundo território, que sua população [191 milhões de habitantes, em 2009] não basta para encher e cultivar. Seria preciso que os homens públicos fossem de uma incompetência sem precedentes na História, para levá-lo definitivamente à miséria. Com jeitinho (o jeitinho é uma instituição nacional), bonomia e paciência — julga a imensa maioria dos brasileiros — tudo se arranjará.

O brasileiro é infenso à ansiedade. Detesta as rixas. Cuida pacatamente de si e de sua família, e considera com um olhar algum tanto desinteressado e cético a política e os políticos, bem como os dramas e as polêmicas da vida pública. Encanta-o viver em sua casa, atento principalmente à sua vida e à dos seus.

Em comparação com o imenso contingente populacional assim disposto, publicistas, políticos etc. representam uma minoria que por certo faz ruído, pois está nos postos chaves de onde o ruído se difunde sobre as multidões. Mas essas multidões constituem um povo que pouca atenção dá a tal ruído. Esta é a grande realidade.

Daí decorre, por exemplo, que todos os partidos de esquerda juntos nunca foram e não são capazes de contaminar, com as febricitações da demagogia, a população urbana nem a rural, em seu conjunto”.

FONTE: REVISTA CATOLICISMO

Beleza é caminho para Deus. (Na audiência geral, Papa evocou arquitectura das igrejas da Idade Média)


Bento XVI afirmou na audiência geral desta Quarta-feira que o caminho da beleza é um percurso privilegiado para a aproximação ao Mistério de Deus.

No dia em que a Igreja evoca as basílicas de São Pedro e São Paulo, o Papa referiu que as catedrais românicas e góticas estão entre as criações artísticas mais elevadas da humanidade, fruto da fé na Idade Média cristã.

Para Bento XVI, as linhas arquitectónicas daqueles templos tinham como objectivo traduzir "o desejo de Deus no coração do homem". "Contemplando a força do estilo românico e o esplendor do gótico, penetramos na senda da beleza, que é um caminho privilegiado e fascinante para nos aproximar do Mistério de Deus", observou.

FONTE: AGÊNCIA ECCLESIA


Bispos brasileiros celebram ‘versus Deum’ em Santa Maria Maior.


Conhecendo a orientação de nosso episcopado, só se pode pressupor que os mandaram a uma capela lateral que não tinha o “altar-mesa”, ficando os senhores bispos sem outra opção. O discurso do Santo Padre aos bispos do Regional Sul 1 em visita ‘Ad limina Apostolorum’ pode ser encontrado aqui.
Mas, na minha opinião, o Vaticano merece nosso agradecimento por ter colocado os bispos para celebrar em Versus Deum.

fonte: FRATRES IN UNUM

domingo, 15 de novembro de 2009

Prefeito de Roma critica decisão de Corte Europeia sobre crucifixos

Prefeito de Roma critica decisão de Corte Europeia sobre crucifixos

Agência ANSA

ROMA - O prefeito de Roma, Gianni Alemanno, afirmou que a sentença emitida pela Corte Europeia de Direitos Humanos contra a exposição de imagens religiosas em instituições de ensino é uma "ofensa à cultura" do povo italiano.

- Cria um problema ao povo italiano, e é também uma ofensa à sua cultura - comentou o prefeito, destacando que está seguro de que o governo italiano "promoverá todas as iniciativas para que a sentença seja revista".

Ontem, a Corte Europeia de Direitos Humanos anunciou que a Itália terá que pagar uma indenização por danos morais à italiana de origem finlandesa Soile Lautsi, que havia pedido à direção da escola onde estudam seus filhos a retirada de crucifixos e demais objetos religiosos das salas de aula.

O Tribunal entendeu que imagens religiosas em instituições de ensino constituem "uma violação dos pais em educar os filhos segundo as próprias convicções" e uma "violação à liberdade de religião dos alunos".

Já Roberto Dipiazza, prefeito de Trieste, cidade localizada na região de Friuli-Venezia Giulia, afirmou que enquanto ele estiver à frente do município, "nenhum crucifixo será removido de nenhuma escola pública, nem dos escritórios municipais".

- A retirada de nossos valores não pode ser adotada como forma de respeito aos seguidores de uma outra religião. Até prova em contrário, quem vier de fora deve se adequar às nossas regras e respeitar os símbolos da nossa fé - ratificou Dipiazza.

13:39 - 04/11/2009

Nossa Senora de Naju


Naju - As lágrimas de Nossa Senhora

ATUALIDADE - Em diversos lugares do mundo, imagens de NOSSA SENHORA choram!...

Mas porque derramam lágrimas as imagens de nossa MÃE SANTÍSSIMA?

Somente para recordar, em Akita no Japão, além das mensagens e ensinamentos que a VIRGEM MARIA transmitiu a Irmã Agnes em benefício de todos nós, uma pequena imagem derramou copiosamente lágrimas de sangue; também a imagem de NOSSA SENHORA ROSA MÍSTICA na Itália, em diversas oportunidades chorou; e agora, é a imagem da VIRGEM MÃE SANTÍSSIMA em Naju, na Coréia do Sul... E desta vez, para ninguém colocar dúvida e maliciar imaginando tratar-se de uma trama, foi um acontecimento verdadeiramente surpreendente, porque durante mais de 700 dias a imagem chorou e derramou lágrimas de sangue, na presença de leigos, autoridades eclesiásticas, homens, mulheres, crianças e especialistas de todas as partes, que inclusive recolheram e examinaram o precioso líquido, constatando tratar-se de sangue humano. De 30 de Junho de 1985 a Dezembro de 1992, o mundo teve tempo suficiente para comprovar que aquelas eram lágrimas verdadeiras que traduziam um sentimento de tristeza, por causa do comportamento inadequado de muitos de seus filhos.

Mas porque afinal, nossa MÃE SANTÍSSIMA chora, derramando lágrimas até de sangue?

SIGNIFICADO DAS LÁGRIMAS - Verdadeiramente a humanidade não é aquela preciosidade idealizada pelo CRIADOR, as fraquezas dominam o coração das pessoas, fazendo com que em muitas oportunidades as criaturas cometam o mal que não querem praticar.

Entretanto, não é lícito simplesmente aceitar uma situação por mais difícil que seja, sem reagir, deixando que as coisas aconteçam, sem respeito aos princípios da moral, da família e da religião, sem que seja empreendida uma resistência firme e decidida. As pessoas não devem permitir que fatos aconteçam por acomodação e conveniência, visando ganhar vantagens ou consolidar posições que são efêmeras nesta vida, que não trazem nenhuma paz interior e nenhum proveito para o espirito.

Sabemos contudo, que não é tarefa fácil criar uma força contrária para combater o mal quando ele se avoluma e avassaladoramente incide sobre as almas, devastando e neutralizando o caráter e a fé , porque sendo uma potência invisível, para ser combatida eficazmente não requer somente persistência e perseverança das pessoas, sobretudo exige muita coragem e disposição. O fiel deve prostrar-se de joelhos e humildemente suplicar o imprescindível auxílio Divino, que por certo em todas ocasiões jamais faltará, à todos que recorrem ao SENHOR e sem o qual, ninguém consegue vencer as forças e ciladas do mal.

Em Junho de 1987 a VIRGEM MARIA delicadamente explicou à Julia, os motivos de suas lágrimas: "Minhas lágrimas, querida filha, são pelo constante fracasso da humanidade em não conseguir amar a DEUS como ELE merece e as pessoas amarem-se mutuamente como ELE nos ensinou; também por causa do execrável aborto que mata diariamente uma quantidade incontável de bebês, assassinando inocentes no útero de suas mães, por covardia, maldade e prazer satânico, e ainda, por causa das muitas almas que se recusam arrependerem-se de seus pecados, não se interessando em procurar um meio para a sua conversão e por isso, com o risco da condenação eterna. Por eles, derramo as minhas lágrimas suplicando a conversão do coração".

NOSSA SENHORA verdadeiramente é nossa MÃE e preciosa medianeira para todas as causas, Aquela que intercede junto a seu Divino FILHO JESUS e sempre consegue as graças que necessitamos para a nossa vida!

Dessa forma, se queremos amainar um pouco a intensidade do egoísmo pessoal e olharmos para Ela, decididos a consolar o Seu Divino e IMACULADO CORAÇÃO por causa de nossas próprias culpas, reconhecendo os incontáveis benefícios que maternalmente Ela cumula a vida de todos nós, por certo conseguiremos enxugar um pouco as preciosas lágrimas que promanam de Seu carinhoso e sagrado CORAÇÃO DE MÃE.

FOTOGRAFIAS VIVAS - Por essa razão, como lembrança inesquecível para ser gravada no interior do espirito, apresentamos fotografias impressionantes das lágrimas de nossa MÃE SANTÍSSIMA.

Não é razoável assumir uma decisão de enxugá-las?

OLEO PERFUMADO - Depois que a imagem cessou de derramar lágrimas, de seu pequenino corpo, principalmente da cabeça, entre os cabelos, sem que existisse qualquer orifício, brotou um precioso e atraente oleo perfumado, que impregnava toda a Capela de Naju, com um agradável e suave odor de rosas. Este fenômeno aconteceu até Outubro de 1994. Durante aquele período e mesmo nos anos seguintes até meados de 1998, quando o povo acompanhava Júlia na reza do Terço, era comum sentir-se o mesmo perfume de rosas inundando completamente o recinto.

AS RAZÕES DE NOSSA MÃE- Com esta intervenção sensacional e merecedora do maior respeito e veneração, a VIRGEM SANTÍSSIMA quer despertar a humanidade do torpor da indiferença, da descrença, do desvanecimento espiritual e da falta de sensibilidade pelas coisas do espirito, estimulando as pessoas a praticarem os ensinamentos do Evangelho e revitalizarem a fé cristã tradicional. Ela quer que comecemos a viver uma vida de orações, em humildade, amor a DEUS e ao próximo, para podermos participar de uma nova era de harmonia e paz no Reino de CRISTO.

Nossa Senhora chora ... e nós, o que vamos fazer para amenizar estas preciosas lágrimas?

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Nasa inicia cruzada contra profetas do apocalipse.


fonte:http://br.noticias.yahoo.com/s/afp/091109/saude/eua_espa__o_apocalipse

"Nosso Senhor disse: nem os anjos do céu saberão a data e nem a hora!
"

Então como Ele poderia revelar a nós pobres pecadores...

O FILME É MERAMENTE FICTICÍO, E MUITA GENTE ACREDITA NAS FALSAS PROFECIAS....

WASHINGTON, EUA (AFP) - O mundo não vai terminar no dia 21 de dezembro de 2012, garantiu nesta segunda-feira a Agência Espacial Americana, em uma curiosa campanha para dissipar os temores provocados pelos profetas do apocalipse na Internet e pelo filme "2012", que será lançado em breve por Hollywood.


O filme, dirigido por Roland Emmerich, com estreia prevista para o próximo final de semana, relata o fim da humanidade no solstício do inverno boreal de 2012, exatamente no dia 21 de dezembro, após uma série de catástrofes naturais.

A data estaria ligada a um alinhamento dos planetas do sistema solar, algo de mau presságio, segundo a crença popular.

Segundo vários profetas do apocalipse, o fim do mundo chegará quando um obscuro planeta, chamado de Nibiru e supostamente descoberto pelos sumérios, colidir com a Terra.

Alguns sites acusam a Nasa de ocultar a verdade, mas a agência espacial qualifica estas histórias de "engodo da Internet".

"Não há qualquer evidência para estas afirmações", destaca a Nasa em seu site.

Se esta possibilidade de colisão fosse real, os astrônomos teriam detectado este objeto "ao menos durante a última década, e agora seria visível a olho nu. Obviamente, não existe".

"Nenhum cientista sério do mundo conhece alguma ameaça para 2012", insiste a Nasa, recordando que a Terra existe há mais de 4 bilhões de anos.

Um colisão com nosso planeta foi prevista inicialmente por alguns profetas para 2003, mas a data foi adiada para 21 de dezembro de 2012, que corresponde ao fim de um ciclo do calendário Maya.

A agência destacou que as colisões catastróficas da Terra com corpos celestes são muito raras, e que a última ocorreu há 65 milhões de anos.

O canto gregoriano


Expressão musical da autêntica espiritualidade católica, nos dias atuais parece ressurgir das cinzas e encanta os católicos no mundo inteiro

Marcos Luiz Garcia


Eles estão sorrindo! Como é possível?! — exclamou Nero, imperador romano do primeiro século da era cristã, ao entrar na arena para se deleitar com a visão dos restos esparsos pelo chão, ainda quentes e sangrentos, das vítimas de mais um espetáculo que acabara de promover.

O mesmo estupor invadia as centenas ou milhares de espectadores que afluíam frenéticos ao Coliseu (algo à maneira de certas torcidas futebolísticas de hoje). Iam assistir ao dantesco espetáculo das feras devorando cristãos, mas acabavam presenciando os mais admiráveis atos de coragem e fidelidade à fé de Jesus Cristo.

Aos poucos a noite caía, o silêncio dominava a cidade, o monumental centro de espetáculos ficava entregue às sombras, isolado e frio, sem viva alma. Era o momento em que, correndo sérios riscos, pequenos grupos de cristãos, prevalecendo-se das penumbras e da escuridão, se esgueiravam céleres a recolher os restos dos mártires, para levá-los às profundidades das catacumbas.

Num misto de veneração e tristeza, com lágrimas brotadas de uma dor profunda e ao mesmo tempo de uma resolução inabalável de fazer triunfar a santa Religião de Jesus Cristo, eles depositavam aqueles restos sagrados sobre mesas de pedra.

Tinha início comovente cerimônia. O bispo, sagrado por um dos Apóstolos, celebrava a Santa Missa, enquanto eram entoados cânticos próprios para aquela circunstância.

Gregoriano: o canto sacro católico que nasce

Nas catacumbas nasceram os primeiros cantos católicos da era cristã
O que cantavam esses primeiros cristãos? Com certeza entoavam algum hino característico da tradição judaica, mas que aos poucos foi sendo aprimorado pela influência que o Espírito Santo exercia nos corações daqueles heróicos cristãos.

O cântico foi ganhando expressão nova, viva e impregnada de sobrenatural. Um timbre nunca observado antes, uma densidade desconhecida na sinagoga decadente daquela época, uma luz que abria sendas rumo ao futuro. Assim, o cântico sacro católico começou a desabrochar, como que regado pelo sangue dos mártires e pelo ardor invencível dos primeiros católicos. Era uma expressão, em última análise, do amor de Deus que dominava aqueles corações e almas fiéis.

Ao lado do crescimento do espírito religioso, um novo estilo de vida, uma nova maneira cristã de conduzir a existência temporal começou a nascer e a se expandir, primeiro dentro das catacumbas, depois para fora daquelas grutas insalubres. Todo um conjunto de valores, à maneira de uma árvore cheia de flores, começou a abrir suas pétalas e a perfumar o ambiente pagão da época.

O fogo de Pentecostes transformara-se num incêndio de grandes proporções. Contrapondo-se ao mundo pagão, às perseguições, às feras, aos constantes martírios, ia se consolidando cada vez mais a Igreja, que Nosso Senhor Jesus Cristo fundara com sua Paixão e morte redentora. Dos subterrâneos corredores catacumbais a Igreja chegou à superfície. Conquistou a mãe do imperador e fez dela uma santa; converteu o próprio imperador Constantino, que deu liberdade ao cristianismo. Depois ele mudou seu governo para Constantinopla, permanecendo em Roma a sede da Igreja Católica.

Como veremos, essa mudança contribuiu para que o canto sacro católico pudesse desabrochar com características próprias.

Aos poucos, o canto gregoriano torna-se a “voz” da Igreja

São Gregório Magno
Em cumprimento à ordem “Ide e pregai o Evangelho a todos os povos”, expressa por Nosso Senhor, os cristãos expandiram-se para outras áreas de civilização. E o canto sacro foi recebendo organicamente as mais diversas influências dos gregos, egípcios e outros povos, dando origem a um conjunto variado, mas sem ainda uma expressão de unidade.

No final do século VI, a Providência Divina suscitou o Papa Gregório I que, pelo imenso contributo prestado ao bem da Santa Igreja, mereceu o título de Magno, e depois a glória dos altares. De nobre família romana, admirável cultor da música, conseguiu, a partir do estudo e ordenação das peças litúrgicas praticadas nos vários quadrantes onde se expandira a Igreja, disciplinar tanto a liturgia quanto a música sacra. Graças a seu êxito em manter o autêntico espírito sobrenatural do canto, a liturgia preservou a graça que estava conquistando o mundo e santificando cada vez mais as almas.

É oportuno lembrar aqui a definição de liturgia que Ismael Fernández apresenta em seu Curso Elementar de Canto Gregoriano: “Liturgia é a ação sacerdotal de Jesus Cristo, continuada na Igreja e pela Igreja sob a ação do Espírito Santo, por meio da qual ‘atualiza’ a sua obra salvadora através de sinais eficazes, dando assim um culto perfeito a Deus e comunicando aos homens a salvação”.1

São Gregório Magno conseguiu não só aprimorar como também dar unidade e definição ao canto sacro, fato que acabou ligando até hoje seu nome a esse estilo de canto: gregoriano.

A partir de São Gregório Magno, a mais autêntica expressão sonora do espírito da Igreja definiu-se, ganhando novo impulso de expansão e elevação. O canto gregoriano tornou-se, por assim dizer, “a voz da Igreja”.

Aprimoramento do cântico com o ideal monástico

Coral gregoriano na Espanha
Especialmente favorecido pelo isolamento e recolhimento contemplativo nos conventos e mosteiros, o gregoriano foi se firmando cada vez mais, como no fundo de uma cave um vinho aprimora-se com o tempo.

Dois séculos depois, surge na História outro Magno, mas este do campo temporal: Carlos Magno, o grande imperador cristão. Especialmente dotado para as tarefas de governo, demonstrando finura de percepção, o valoroso imperador descobriu que o gregoriano seria a melhor maneira de dar unidade de espírito a seu vasto império católico, conquistado com a sábia intenção de constituir a Cristandade –– união dos países católicos fiéis a Jesus Cristo, unidos ao Papa. Enviou monges a Roma para aprenderem bem as técnicas do canto sacro, e depois difundiu por todo o vasto império o modo correto de cantar, convencido de que atrairia as graças de Deus e impregnaria toda a Cristandade de bênçãos, dando-lhe mais unidade.

Desde a criação por São Bento da primeira ordem monacal, no século VII, houve uma proliferação do ideal religioso monástico, que se espraiou ao longo dos séculos por toda a Europa. Mosteiros e conventos foram erigidos nos mais variados lugares, desde montanhas escarpadas, florestas densas e de difícil acesso até os lugares mais áridos. Nesses locais, em que se praticava a perfeição evangélica, ouviam-se as ondas sonoras dos sinos e especialmente o gregoriano, cantado com alma e com método, para o cumprimento dos preceitos da liturgia e das regras monásticas. Tais mosteiros e conventos constituíram centros de irradiação de bênçãos e graças, que foram impregnando até a paisagem, aprimorando a beleza da flora e da fauna e afastando os animais daninhos.

Sobre a influência dos sons no desenvolvimento de vegetais, experiências científicas realizadas no século passado demonstraram, por exemplo, que as plantas voltaram-se contra uma caixa de som que tocava músicas frenéticas. Compreende-se, pois, que músicas elevadas e consonantes com Deus e a Lei natural possam produzir efeito contrário, benéfico.

Essa influência marcante da catolicidade na sociedade temporal é a verdadeira razão de a Europa ter-se tornado, segundo dizia Plinio Corrêa de Oliveira, a fisionomia do mundo, foco da maior avalanche de turismo em nossos dias. Turismo cuja mentalidade e espírito, infelizmente, constitui o avesso daquela época distante.

O cântico colaborando para o progresso espiritual e material

Contudo, o mais importante dessa sadia influência da Igreja na sociedade temporal era produzido na vida dentro dos castelos, nas cortes. Tais ambientes freqüentemente tornavam convidativa a prática das virtudes, tornando elevados e puros os costumes, respeitoso e requintado o convívio. Dos altos castelos, as bênçãos iam atingir também as vilas e as cidades, aprimorando o povo, as famílias e instituições, que tinham nas classes mais altas os seus modelos.

Toda a escala social acorria às belas cerimônias litúrgicas para receber ali, ao som do órgão ou do canto gregoriano, os sacramentos administrados com dignidade e sacralidade –– verdadeiro alimento espiritual capaz de consolidar o progresso espiritual e material nas vias da santa vontade de Deus.

Sob esse mesmo influxo, uma quantidade imensa de catedrais, igrejas, castelos e edificações de todo gênero foi marcada por uma inspirada beleza, que até hoje encanta turistas e enche de pasmo os estudiosos e cientistas.



Gregoriano: fator transformador da Terra em antecâmara do Céu

Gravações e concertos de gregoriano
Diz Katharine Le Mée, em seu livro Canto2, que um monge pode levar até quatro anos para chegar a cantar bem o gregoriano. Em outras palavras, após quatro anos de preparação o monge fica espiritual e vocalmente adequado ao canto gregoriano. Imaginemos tal canto executado por monges e religiosos durante séculos: isso facilita a compreensão do seu imenso contributo para o mundo católico.

Após a conversão dos bárbaros que invadiram a Europa, de modo geral a sociedade foi se tornando mais santa, a natureza mais bela, tudo recebia um impulso para o alto. Graças a tais fatores, o que se viveu naquela época foi o grau possível de felicidade nesta Terra. O gregoriano foi um elemento importante para a formação da Cristandade.

Infelizmente, a civilização cristã não chegou até onde poderia ter chegado. A ascensão estendeu-se até o século XIII, no reinado de São Luís IX, rei da França, e de São Fernando de Castela. Os sintomas de decadência se fizeram sentir já no século XIV, e foram se estendendo com o movimento renascentista. Em conseqüência, eclodiu profunda revolução na História, a qual atingiria também o canto sacro.





O polifônico: mais humano, mas menos espiritual que o gregoriano

são realizados cada vez mais no mundo todo,
Nascido da intenção de aumentar o brilho humano de tudo, o canto polifônico com vozes mistas, com toda a sua complexidade, foi desbancando o canto gregoriano austero e singelo.

Não negamos a real beleza e unção de certas peças polifônicas. Contudo não se pode negar que, de modo geral, o canto polifônico não conseguiu realizar mais aquela densidade de espírito católico e de elevação, tão marcantes no gregoriano.

Sempre que falamos no gregoriano, o que geralmente nos vem à mente é um religioso ou um coro de religiosos cantando numa igreja, capela ou claustro, sem público. Os religiosos, devido a seu estado de perfeição, são normalmente os mais identificados com o canto sacro. De onde notarmos que existe algo no gregoriano que o torna consonante com a castidade e a virgindade, com a obediência e a pobreza. Virtudes que alimentam nas almas a pureza de costumes, a humildade no comportamento e o desapego dos bens materiais. Só esse imponderável pareceria suficiente para explicar que, em razão da decadência espiritual da sociedade do fim da Idade Média, surgisse uma tendência para substituir o canto gregoriano por algo mais humano e menos espiritual. Foi o que aconteceu.

Conforme observa Ismael Fernández no curso acima mencionado, o gregoriano começou já no século XIII a ser desfigurado, e seu espírito adulterado, mediante um processo que só cessou na segunda metade do século XIX, quando se iniciou o período de sua restauração. Até então, quanto bem o canto gregoriano deixou de fazer aos indivíduos e à sociedade, por causa de seu abandono e decadência? Só Deus o sabe.

O progressismo dito católico em oposição ao canto gregoriano

penetrando nas diversas camadas da opinião pública
Contudo, o golpe mais violento desfechado contra o canto sacro ainda estava por vir. No século XX, o progressismo católico dos anos 60 e 70 aboliria em quase todas as igrejas, e num número incontável de conventos e mosteiros, o canto mais expressivo da espiritualidade católica. As músicas progressistas, anti-sacrais e sentimentais, sem a substância espiritual autêntica e profunda do gregoriano, iriam contribuir para modificar completamente o ambiente religioso.

Os antigos monges e religiosos, contemplativos e austeros, cederam lugar aos padres cantores, secularizados e esportivos: o aspecto cênico triunfou sobre o sobrenatural; o amor devido a Deus voltou-se para os homens; a perfeição evangélica foi preterida pela ação social. Desapareceu a sensação da presença espiritual e angélica no canto sacro e nas cerimônias.

Legiões de católicos abandonaram a Santa Igreja, procurando em falsas religiões, em vão, algo menos chocante. Dos que permaneceram, um número realmente alarmante desconhece o que é a espiritualidade profunda e real vivida pelos santos. Decaídos em matéria de costumes, vazios quanto a princípios e doutrina, desconhecem o que é vida interior. Até ginástica ritmada foi introduzida em missas; e quanto à pregação, arengas socialo-comunistas do gênero da Teologia da Libertação passaram a ser ouvidas durante o culto.



de muitos países
Entretanto, a apetência pelo gregoriano permanecia em inúmeras almas, embora soterrada. Em 1993 foi gravado um CD com canto gregoriano na abadia de São Domingos de Silos, na Espanha. Sem que se pudesse prever, quatro milhões de cópias foram vendidas em todo o mundo!

Estaria o homem moderno redescobrindo uma inesgotável fonte de vida espiritual autêntica, abandonada, esquecida, mas que conservava toda a força adquirida nos séculos que marcam sua longa tradição?

A verdade é que o gregoriano ressurgiu no horizonte católico como algo extraordinário. No século mais decadente da história do Novo Testamento, ressurge cheio de brilho o canto dos monges, o canto da Igreja, e começa a retomar a sua influência restauradora nas almas. Como mancha de azeite, os coros gregorianos começam a surgir, trazendo nova promessa.

Serão os passos de Nossa Senhora de Fátima que se fazem ouvir na História? Será que, como Mãe desobedecida mas cheia de amor, aproxima-se para punir os imensos pecados do mundo atual, mas já deixando entrever um prenúncio do triunfo de seu Imaculado Coração?

É o que esperamos ardentemente, e o que nos moveu a redigir este artigo.

http://www.catolicismo.com.br/materia/materia.cfm/idmat/A6AB7018-3048-313C-2EA84AA714C9CD3E/mes/Novembro2009

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Esse homem é um perigo para a américa Latina!


Isso todo mundo já sabia, mas, também parece ser o mais cego do mundo, porque que ele não acorda pra vida e para de querer aparecer ? Agora chama o povo venezuelano pra guerra!!!
Que guerra meus amigos? O homem não sabe nem cuidar do próprio nariz quer ir à guerra é querer aparecer demais. Eles estão vivendo uma crise de energia digamos, "do balacubaco" e querem fazer guerra?

"Por que no te callas?!!" O povo precisa dizer isso a esse homem que tem um governo muito pior que o de facto de Honduras, persegue a Igreja, e outros coisas por aí...

Renato Bianchini Jr.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Video sobre a Santa Missa...

video
Tradução:
No dia 7 de julho do ano de 2007 da era cristã, Sua Santidade o papa Bento XVI decretou o "Motu Proprio".

Estabelece as normas do missal Romanum, codificado pelo papa São Pio V em 1570, e reeditado pela última vez por João XXIII, em 1962.

Foi o missal usado durante o concílio Vaticano II, foi a missa de muitos santos,
de muitos papas, de muitos cardiais e bispos, de muitos sacerdotes, e caminho de santidade para muitas gerações.

Hoje graças ao papa Bento XVI, volta a surgir este tesouro espiritual e litúrgico da Santa Igreja...
E cada vez mais, são as missas celebradas com esse missal no mundo todo, é chamada pelo papa de ordem extraordinária do rito romano e também conhecida como missa tradicional.

Sua sacralidade , espiritualidade , mistério, solenidade e beleza se caracterizam pela: recordação constante do sentido sacrifical, aí está a renovação do sacrifício da cruz, o sacerdote celebra de frente para Deus AD ORIENTEM.








Nota da Administração Apostólica: Faleceu o Pe. José Paulo Vieira

Com muito pesar comunicamos o falecimento do Revmo. Pe. José Paulo Vieira, da Administração Apostólica Pessoal S. João Maria Vianney, pároco em Bom Jesus do Itabapoana.

Pe. José Paulo faleceu hoje, 02 de novembro, em Bom Jesus, por volta das 08:30, vítima de um infarto fulminante.Os funerais serão celebrados amanhã, 03 de novembro, à 08:00, por Sua Exa. Dom Fernando Arêas Rifan, na Igreja do Senhor Bom Jesus Crucificado, em Bom Jesus do Itabapoana.

Pe. José Paulo nasceu aos 04 de julho de 1955, na zona rural de Itaperuna.

Foi ordenado sacerdote em 30 de novembro de 1986.

Trabalhou em Santo Antonio de Pádua até 1990, quando foi para Bom Jesus do Itabapoana, como auxiliar e depois substituto de Monsenhor Franciso Apoliano.

Manifestamos à senhora sua mãe, Dona Mercedes e a todos os seus irmãos, cunhados, sobrinhos e demais familiares, bem como a todos os seus paroquianos, nossos mais sentidos pêsames, elevando ao Coração do Senhor Bom Jesus, pelo Coração de Maria, nossas orações suplicando que o zeloso Pe. José Paulo possa receber a recompensa pelo amor, dedicação e fidelidade com que viveu seu sacerdócio até o último momento.

Pela Administração Apostólica S. João Maria Vianney,

Pe. Gaspar Samuel Coimbra Pelegrini, Reitor do Seminário e responsável pelo Site.

fonte:http://www.adapostolica.org/